Arquivo de etiquetas: Catalogação

Objetivos e funções do catálogo

O catálogo deve ser um instrumento efetivo e eficiente que permita ao utilizador (usuário):

4.1 Encontrar recursos bibliográficos numa coleção como resultado de uma pesquisa, utilizando atributos e relações entre recursos:

4.1.1 Para encontrar [localizar] um determinado recurso.

4.1.2 Para encontrar [localizar] conjuntos de recursos representando:

  • todos os recursos que pertencem à mesma obra;
  • todos os recursos que representam a mesma expressão;
  • todos os recursos que exemplificam a mesma manifestação;
  • todos os recursos associados a determinada pessoa, família ou colectividade (entidade);
  • todos os recursos sobre um determinado assunto;
  • todos os recursos definidos por outros critérios ( língua, lugar de publicação, data de publicação, tipo de conteúdo, tipo de suporte, etc.), normalmente como uma delimitação secundária de um
  • resultado de pesquisa.

4.2 Identificar um recurso bibliográfico ou agente (ou seja, confirmar que a entidade descrita corresponde à entidade procurada ou distinguir entre duas ou mais entidades com características similares);

4.3 Selecionar um recurso bibliográfico que seja apropriado às necessidades do utilizador (usuário), (ou seja, escolher um recurso que esteja de acordo com as necessidades do utilizador (usuário), no que diz respeito ao conteúdo, suporte, etc. ou rejeitar um recurso que seja inadequado às necessidades do utilizador (usuário);

4.4 Adquirir ou obter acesso a um item descrito (ou seja, fornecer informação que permitirá ao utilizador (usuário) adquirir um item por meio de compra, empréstimo, etc. ou aceder (acessar) eletronicamente a um item por meio de uma ligação em linha a uma fonte remota); ou acessar (aceder), adquirir ou obter dados bibliográficos ou de autoridade;

4.5 Navegar num catálogo ou para além dele (quer dizer, através da organização lógica dos dados bibliográficos e de autoridade e da apresentação de formas claras de se navegar, incluindo a apresentação de relações entre obras, expressões, manifestações, itens, pessoas, famílias, entidades (colectividades), conceitos, objetos, eventos e lugares).

Fonte: Declaração de Princípios Internacionais de Catalogação – 2009 –http://www.ifla.org/files/assets/cataloguing/icp/icp_2009-pt.pdf

 

Qualidades do catálogo

Facilidade de manuseio: significa, além da facilidade para se manuseado propriamente, ter boa sinalização – no caso de catálogos manuais, interna e externa; estar em local visível e acessível e apresentar instruções de uso.

Flexibilidade: permite inserção de representações de novos itens; exclusão de representações de itens descartados ou perdidos e mudanças nas representações, quando necessário.

Portabilidade: permite ser consultado fora da biblioteca ou à distância.

Compacidade: significa ocupar pouco espaço.

Fonte: Prova Petrobrás – Bibliotecário Jr. – Cesgranrio – Questão 7

MEY, E.S.A. Introdução à catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos/ Livros, 1995

Qualidades importantes na elaboração/ construção de um catálogo

Atualidade: significa estar sempre atualizado, refletindo o acervo.

Economia na preparação/ manutenção: significa economia de recursos e de tempo.

Uniformidade: Permite a compreensão do código; em certas partes da catalogação, permite a reunião de itens com características comuns; na própria estruturação interna do catálogo, facilita seu manuseio pelo usuário.

Fonte: Prova Petrobrás – Bibliotecário Jr. – Cesgranrio – Questão 7

MEY, E.S.A. Introdução à catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos/ Livros, 1995

Características da Catalogação

Clareza: significa que a mensagem deve ser compreensível aos usuários. Por exemplo, se estivermos em uma biblioteca infanto-juvenil, os termos representativos dos assuntos deverão adequar-se a seu público: PÁSSAROS (e não ORNITOLOGIA).

Precisão: Significa que, no código utilizado, cada informação só pode representar um único dado ou conceito, sem dar margem a confusão entre as informações. Por exemplo, 1984 como data de publicação só pode identificar a data de publicação: Rio de Janeiro, Editora x, 1984.

Integridade: significa fidelidade, honestidade na representação, transmitindo informações passíveis de verificação. Por exemplo, se não há certeza da data de publicação, o catalogador acrescenta um ponto de interrogação [?], indicando sua dúvida: Ex.: Rio de Janeiro: Editora X, [1975?].

Lógica: significa que as informações devem ser organizadas de modo lógico. Por exemplo, na descrição do item, vai-se do mais importante (título e autor) para o mais detalhado (dados de publicação e paginação, entre outros).

Consistência: a mesma solução deve ser sempre usada para informações semelhantes.

Fonte: Prova Petrobrás – Bibliotecário Jr. – Cesgranrio – Questão 6

MEY, E.S.A. Introdução à catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos/ Livros, 1995.

Fascículo

Fascículo: Uma das divisões temporárias de um item impresso que, por conveniência de impressão ou de publicação, é lançada por partes, geralmente incompletas, não coincidindo, necessariamente, com qualquer divisão formal da obra […]. Distingue-se de uma parte por ser uma divisão transitória da obra e não uma de suas unidades formais (AACR2R, Glossário, Apêndice D).

Fonte: Prova Petrobrás – Bibliotecário Jr. – Cesgranrio – Questão 2

CESPE – STJ/2004 – Catalogação

98 – Errado= De acordo com Lancaster (2004, p. 50), “a flexibilidade inerente aos sistemas pós-coordenados deixa de existir quando os termos de indexação são impressos em papel ou fichas catalográficas convencionais. Os índices impressos e os catálogos em fichas são pré-coordenados“.

LANCASTER, F.W. Indexação e Resumos: teoria e prática. 2 ed. Brasília, DF: Briquet de Lemos/ Livros, 2004.

CESPE – STJ/2004 – Catalogação

90- Errado= Esta é a definição de “Compilador”, segundo a AACR2, Organizador = Coordenador “Aquele que prepara para publicação um item que não seja de sua autoria”.

91- Errado= O AACR2 define o título uniforme em três concepções: “1. Um determinado título sob o qual uma obra pode ser identificada para fins de catalogação. 2. Um determinado título  usado para distinguir  o cabeçalho de uma obra do cabeçalho para uma obra diferente. 3. Um título coletivo convencional utilizado para agrupar as publicações de um autor, compositor ou entidade, compreendendo diversas obras, ou extratos etc. de diferentes trabalhos (p. ex. obras completas, diversas obras em determinada forma literária musical).”

92- Correto= “Item passa a ser o termo usado em todas as regras específicas que identificam cada tipo de material ou suporte da informação. Assim, é definido como um documento, ou grupo de documentos, sob qualquer forma física, editado, distribuído, ou tratado como uma entidade autônoma, constituindo a base de uma única descrição, como por exemplo, um livro, um mapa, um disco etc.”

93- Errado= A descrição estabelece um padrão que serve, ou que é comum, a qualquer tipo de material e está dividida em 8 grandes áreas e cada uma delas é constituída de um determinado número de elementos:

ÁREAS

Cada seção da descrição, compreendendo dados de uma categoria particular ou de um conjunto de categorias

ELEMENTOS

Palavras, frase ou grupo de caracteres representando uma unidade distinta de informação, fazendo parte de uma área

Área 1: Título e indicação de responsabilidade 1. Título principal

2. Título equivalente

3. Outras informações sobre o título

4. Indicação de responsabilidade

Área 2: Edição 1. Indicação de edição

2. Indicação de responsabilidade da edição

3. Edições subseqüentes

Área 3: Detalhes específicos do material (ou do tipo de publicação)                             Material cartográfico, Música, Recursos eletrônicos, Microformas (em alguns casos), Recursos contínuos
Área 4: Publicação, distribuição etc. 1. Lugar de publicação, distribuição etc.

2. Nome do editor, distribuidor etc.

3. Data de publicação, distribuição etc.

4. Lugar de fabricação, fabricante, data

Área 5: Descrição física 1. Extensão

2. Outros detalhes físicos

3. Dimensões

4. Material adicional

Área 6: Série 1. Título principal da série

2. Título equivalente da série

3. Outras informações sobre o título da série

4. Indicação de responsabilidade da série

5. ISSN da série

6. Numeração da série

Área 7: Notas 1. Todas as notas
Área 8: Número normalizado e modalidades de aquisição 1. ISBN

2. Modalidades de aquisição

3. Qualificação

Fonte de todas as respostas: CÓDIGO de catalogação anglo-americano. 2. ed. Tradução de Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (FEBAB). São Paulo: Imprensa Oficial, 2004.

Contribuiu: L.C.

 

 

Vunesp – 2011 – UNESP – Catalogação

Opção correta: (B)

É uma questão complexa e não encontramos a fonte dessa figura/ fluxo. Sabemos que de acordo com Mey e Silveira (2009, p. 94), “a catalogação compreende três partes: descrição bibliográfica, pontos de acesso e dados de localização” o que ajuda a responder, mas não completamente a questão.

Se alguém souber, por favor nos ajude a descobrir.

Contribuiu: F.M.

MEY, E. S. ; SILVEIRA, N. C. Catalogação no plural. Brasília, DF: Briquet de Lemos/ Livros, 2009.

Vunesp – 2011 – UNESP – Catalogação

Opção correta: D
A= errado, os FRBR (Functional Requirements for Bibliographic Records) não atuam da mesma maneira que o AACR2.
B= errado, não é o catalogador que define os níveis de catalogação, muito menos durante o processo de catalogação.
C= errado, essa é a definição de consistência.
São características desejáveis à catalogação: integridade: fidelidade na representação; clareza: objetividade (compreensão para os usuários) na representação; precisão: definição precisa de dados e conceitos; lógica: organização racional das informações; consistência: escolha e uso contínuo de parâmetros descritivos.
D= correta
E= errado, o AACR2 não incorporou o MARC

Contribuiu: L.C.